Com domínio durante o jogo todo, os suíços derrotaram a Hungria por 3x1
por
Thomaz Cintra
|
18/06/2024 - 12h

 

 

No último sábado (15), a Suíça derrotou a Hungria no estádio RheinEnergieStadion, em Colônia, pelo placar de 3 a 1 e dominou a maioria das ações da partida. A equipe suíça até chegou a tomar um susto na segunda etapa, mas nada que fizesse com que tenham perdido o controle do jogo, e no apito final, asseguraram os 3 pontos.

Foi durante o primeiro tempo que os suíços se mostraram mais prevalentes no jogo, criando mais chances de gol e apresentando uma defesa muito sólida diante do ataque húngaro. Não à toa conseguiu ir para o vestiário com uma vantagem de dois gols no marcador, o primeiro, feito pelo atacante, Kwadwo Duah, que ainda passou por avaliação do VAR, que após traçar a linha percebeu que o atacante estava em posição legal, e validou o gol, tudo isso ainda no início no jogo. Aos 45 minutos, o meio-campista Marco Aebischer, que havia dado assistência para o primeiro tento da equipe, com uma forte finalização de fora da área, venceu novamente a defesa húngara e aumentou o placar. A primeira etapa finalizou 2 a 0 a favor da Suíça.

Buah comemorando seu gol com Vargas e Xhaka (Foto: Reprodução Eurocopa)
Buah comemorando seu gol com Vargas e Xhaka (Foto: Reprodução Eurocopa)

Apesar de ter dominado a primeira etapa, a Suíça viria a mostrar seu potencial depois do intervalo do jogo. Mesmo fazendo apenas um gol no segundo tempo, os suíços voltaram com tudo, e ainda mais avassaladores, porém agora enfrentaram uma Hungria que parecia ter aprendido com os erros cometidos nos primeiros 45 minutos. Na metade do segundo tempo, a defesa suíça viu o meia Dominik Szoboszlai acertar um cruzamento perto da pequena área onde o centroavante, Baranbás Varga, surgiu para completar o passe com um cabeceio para o gol. Mesmo com esse susto dado, a Hungria não conseguiu tomar o controle da partida para si, e acabou levando mais finalizações ao seu gol até o final do duelo.

Nos acréscimos do jogo, o jogador do Mônaco,Breel Embolo conseguiu pegar uma bola sobrada, a partir uma falha da defesa húngara e chutou por cobertura na saída do goleiro Gulácsi, e assim, garantiu a vitória da Suíça na sua estreia da Euro 2024, 3 a 1.

Jogadores da Suíça comemoram vitória diante da Hungria (Foto: Rueters / Wolfgang Rattay)
Jogadores da Suíça comemoram vitória diante da Hungria (Foto: Rueters / Wolfgang Rattay)

O meio-campista suíço Granit Xhaka foi eleito o melhor jogador da partida logo após o apito final, apesar de não ter marcado gols ou ter dado assistências, de acordo com o painel de observadores técnicos da UEFA ele desempenhou “Um papel completo no meio-campo, tanto na construção como na recuperação. Trabalhou muito, mostrou capacidade de liderança e foi excelente na organização do jogo da sua equipe”.

O próximo compromisso da Hungria é contra a anfitriã Alemanha, líder do grupo, e que vem de uma vitória por 5x1 em cima da Escócia. Já a Suíça enfrenta justamente os escoceses na segunda rodada do Grupo A da Eurocopa.

Com um gol sofrido aos 23 segundos, Azzurri se recupera e vira para cima da Albânia
por
Rafael Rizzo
Arthur Campos
|
18/06/2024 - 12h

No último sábado (15), a seleção italiana estreou na Eurocopa 2024, na Alemanha. A Azzurri, atual campeã do torneio, encarou a Albânia, às 16h (horário de Brasília), no Signal Induna Park, em Dortmund, e venceu - de virada - por 2 a 1. Com esse resultado, a tetracampeã  mundial empatou com a Espanha no grupo B, ambos com 3 pontos.  

A partida começou com recorde. O camisa 10 da Albânia, Nadim Bajrami, marcou o gol mais rápido da história da Eurocopa, aos 23 segundos. No lance, o defensor italiano Dimarco cobrou um lateral errado para a grande área e a bola parou nos pés do atacante Albanês, que ajeitou para o pé direito, chutou no canto do goleiro e abriu o placar. Depois desse vacilo, a Itália retomou o controle da partida e, aos 10 minutos Pellegrini cruzou na cabeça de Bastoni, que cabeceou firme e empatou o jogo. Em seguida, em um bate e rebate, a bola sobrou para Barella na entrada da grande área, que chutou forte. O goleiro nem se mexeu e a Itália virou o placar. Depois que o susto passou, a Itália seguiu e jogou tranquilo, com domínio na posse de bola e superior nas finalizações. Aos 32, Frattesi ficou cara a cara com o goleiro e efetuou uma cavadinha que bateu na trave, a última grande chance do primeiro tempo. 

Itália x Albânia
Nadim Bajrami, camisa 10 da Albânia,  comemorando o gol mais rápido da história da Eurocopa. Foto: Reprodução/ Instagram Euro2024.

Na volta do vestiário, a Azzurri seguiu com o controle do jogo, sem grandes riscos de levar o empate. Aos 13 minutos, Chiesa executou um belo chute colocado, mas que passou perto da trave. A partir daí, a Itália cozinhou o jogo e manteve o torcedor tranquilo. Porém, aos 44, a Albânia assustou todo mundo com uma chance clara de gol. No lance, a zaga fez um longo lançamento para Manaj, que na grande área dominou de peito e mandou para fora cara a cara com o goleiro. Fim de jogo, Itália 2, Albânia 1. 

Na segunda rodada, a Albânia enfrentará a Croácia na próxima quarta-feira (19), às 10h (horário de Brasília), no Volkspark Stadium em Hamburgo. Já a Itália encarara a Espanhano dia seguinte, às 16h, no Veltins Arena em Gelsenkirchen.

Com um 3 a 0 no primeiro tempo, seleção espanhola estreia na Eurocopa 2024 e assume a liderança do grupo.
por
Rafael Rizzo
Arthur Campos
|
18/06/2024 - 12h

No último sábado (15), a seleção espanhola estreou os confrontos do Grupo B da Eurocopa 2024, na Alemanha, contra a Croácia. No Estádio Olímpico de Berlim, às 13h (horário de Brasília),  Yamal e companhia, venceram por 3 a 0 o elenco do capitão Luka Modric, e assumiu a liderança do grupo.  

Espanha x Croácia
Pedri, Rodri e Modric durante a partida. Foto: Reprodução/ Instagram Sefutbol

O jogo começou morno, com equilíbrio na posse de bola e nas finalizações. Porém, tudo mudou aos 28 minutos. No lance, após a Espanha recuperar o controle da bola, Fabian Ruiz passou em profundidade para o capitão Álvaro Morata, que saiu cara a cara com o goleiro e balançou as redes para abrir o placar. Sem diminuir o ritmo, aos 32, Fabian Ruiz ampliou com um golaço. Na jogada, Lamine Yamal, o jogador mais novo da história a jogar uma partida da Euro com 16 anos e 338 dias, driblou pelo lado direito da grande área e passou para Pedri que ajeitou para o camisa 8, que driblou dois e chutou cruzado para ampliar o placar. 

Em seguida, a Croácia começou a pressionar mais em busca do resultado. Porém, o goleiro espanhol Unai Simon estava com as defesas em dia e fechou o gol. Mesmo com toda essa pressão, no último lance do primeiro tempo a Espanha conseguiu marcar mais um gol. Dessa vez, Yamal cruzou para o lateral Daniel Carvajal, que marcou de carrinho e fechou o primeiro tempo da partida em 3 a 0. 

Na volta do intervalo, a partida seguiu agitada, com a Croácia em busca do gol e a Espanha sem tirar o pé do acelerador. O goleiro croata Livakovic defendeu o chute rasteiro de Yamal cara a cara e impediu a Espanha de ampliar o placar aos seis minutos do segundo tempo. Em seguida, do outro lado da moeda, a Croácia finalizou duas vezes na grande área e por pouco não diminuiu a diferença.  

Aos 32 minutos, a Espanha errou na saída de bola e Rodri fez o pênalti em Petkovic, que tinha a sua frente o gol aberto. Rodri recebeu o cartão amarelo e o camisa 17 pegou a bola e cobrou o pênalti, mas consagrou o goleiro espanhol, que defendeu o chute no canto esquerdo do gol. Porém, no rebote a bola voltou para Petkovic, que balançou as redes. Mas o VAR foi consultado e anulou o gol devido a uma invasão de área na cobrança da penalidade. Depois disso, a Espanha diminuiu o ritmo, fez suas substituições e aceitou as espetadas da Croácia, que não surtiram efeito. Fim de jogo, Espanha 3, Croácia 0. 

Na segunda rodada, a Croácia enfrentará a Albânia na próxima quarta-feira (19), às 10h (horário de Brasília), no Volkspark Stadium em Hamburgo. Já a Espanha encarara a Itália no dia seguinte, às 16h, no Veltins Arena em Gelsenkirchen.

Com o brilho da nova geração, a Alemanha goleou a Escócia por 5 a 1
por
Felipe Bragagnolo Barbosa
Thomaz Cintra
|
17/06/2024 - 12h

  Em modo Blitzkrieg, Alemanha definiu o jogo no começo do primeiro tempo no primeiro confronto do grupo A. Nesta sexta-feira (14), As Águias atropelaram o esquadrão escocês por cinco a um, consolidando o favoritismo para a classificação.
  Antes da partida, a cerimônia de abertura da competição homenageou os três capitães alemães campeões europeus, Bernard Dietz em 1980, Jurgen Klinsmann em 1996 e a viúva do eterno Franz Beckenbauer, campeão em 1972. A abertura também levou danças e músicas conhecidas ao público, sem destacar a canção “Fire”, feita para esta edição.


  Voltando ao jogo, os germânicos abriram o placar cedo com um golaço, aos dez minutos do primeiro tempo , Joshua Kimmich rolou a bola na entrada da grande área e a jovem estrela Florian Wirtz chutou de primeira no canto baixo do goleiro. Aos 19, outro jovem fez um belo gol, Jamal Musiala, driblou o zagueiro e chutou no canto alto do goleiro, sem chance de defesa. Nos primeiros vinte minutos, o Exército de Tartan estava na roda, em uma verdadeira Blitzkrieg os alemães dominaram, mantendo a bola em seus pés por 73% do jogo. 

a
Musiala (a direita) foi o destaque alemão na primeira rodada. foto: AFP.


 

Tudo que parecia ruim piorou, Ryan Porteous foi expulso após cometer um pênalti, o zagueiro atingiu Gundogan com a sola em suas pernas, o VAR chamou e o árbitro confirmou, Havertz bateu e converteu o terceiro gol ainda no primeiro tempo.
No segundo tempo, a seleção escocesa tentou reagir, mas nada foi efetivo, o jogo esfriou até os 23 minutos, quando em uma bola rebatida Fullkrug dominou e com muita força fez um golaço, a bola atingiu 110 km/h, sem chances para o goleiro Gunn. O centroavante chegou a marcar novamente, mas desta vez anulado por impedimento.


 No final do  jogo o trio de ataque titular alemão já tinha sido substituído, o que resultou em um jogo controlado, até que aos 42 minutos em um cruzamento na área alemã a bola rebateu em diversos jogadores, sendo o último deles Rudiger, marcando contra a própria rede. Apesar da infelicidade, As Águias continuaram pressionando até que aos 48 minutos Emre Can marcou de fora da área com um chute colocado no canto baixo de Gunn, cravando o resultado final de cinco a um.
  O próximo confronto dos anfitriões será no dia 19 contra a Hungria ás 13 horas, buscando a classificação, já o Exército de Tartan lutará pela sobrevivência contra os suíços ás 16 horas do mesmo dia.

Partida marcou a estreia do grupo D da Eurocopa 2024
por
Matheus Monteiro da Luz
Lucca Ranzani
|
17/06/2024 - 12h

A primeira partida do grupo D da Eurocopa aconteceu no domingo (16) no Volksparkstadion. A seleção da Polônia encarou a Holanda e foi derrotada pelo placar de 2 a 1. Os gols foram marcados por Adam Buksa para os poloneses e Cody Gakpo e Wout Weghorst para a Laranja Mecânica.

O confronto começou com pressão dos holandeses, como era de se esperar pela qualidade técnica. A Laranja Mecânica parou na boa partida do goleiro polonês Wojciech Szczęsny. Logo no primeiro minuto de jogo, depois de vacilo da defesa, Gakpo ganhou a bola na grande área, cortou a marcação e bateu no canto, para ótima defesa do goleiro polonês. 

A Polônia, comadanda por Michal Probierz, manteve o tradicional esquema de três zagueiros com o 5-3-2, na tentativa de conter o jogo pelos lados da Holanda, com Gakpo e Xavi Simons, tendo Memphis Depay como um falso centroavante. 

Mesmo com o volume de jogo holandês, foi a Polônia que inaugurou o placar. Depois de escanteio cobrado por Piotr Zieliński, o atacante Buska subiu na primeira trave, sozinho,  para cabeçear e abrir o placar aos 16 minutos da primeira etapa.

Mesmo após o gol polonês, a Holanda pressionou o adversário, com direito a uma grande chance aos 19 minutos do primeiro tempo, com o zagueiro Van Djik batendo de voleio para outra boa defesa de Szczęsny.

O cenário mudou aos 29 minutos da etapa inicial, quando a Laranja Mecânica subiu a linha de marcação e forçou o chutão da zaga polonesa. O zagueiro holandes Nathan Aké recuperou a bola e deixou com Gakpo, o camisa 11, que bateu para o gol e contou com o desvio do defensor Bartosz Salamon para enganar o goleiro e empatar a partida, 1 a 1.

Cody Gakpo comemorando o segundo gol: Foto: Divulgação/seleção neerlandesa de futebol
Cody Gakpo comemorando o primeiro gol da Holanda na partida: Foto: Reprodução/onsoranje

No decorrer do segundo tempo, a Holanda buscou a virada no placar, porém, a pontaria holandesa não estava das melhores. Em todo o jogo, foram 21 chutes e apenas quatro acertaram o gol. Mas ao 37 minutos da etapa final, após Ake tentar um passe para a área e a bola desviar em Jan Bednarek, Weghorst fez valer a fama de centroavante goleador e bateu na entrada da pequena área para marcar o gol da virada holandesa, 2 a 1. 

Com a vitória, a Holanda assume a liderança provisória do grupo D, com três pontos. A Laranja Mecânicas aguarda o resultado do jogo entre França e Áustria, previsto para acontecer nesta segunda-feira (17), às 16h (horário de Brasília).

As duas seleções voltam a campo na próxima sexta-feira (21). A Polônia enfrenta a Áustria, às 13h, no Estádio Olímpico. Enquanto a Holanda encara a França, às 16h, na Red Bull Arena Leipzig. Todos os jogos pelo horário de Brasília. 

 

Com vitória sob a seleção da Tailândia, de 3 sets a 0, a seleção brasileira de vôlei tem novo recorde de vitórias
por
Beatriz Brascioli
|
18/06/2024 - 12h

 

Em um jogo tranquilo, o Brasil fechou a segunda semana de Liga das Nações com uma marca histórica de oito jogos e oito vitórias, desta vez de três sets a zero contra a seleção da Tailândia, com a parcial de 25/22, 25,14 e 25/17.

A escalação do jogo, foi uma grande mistura de todos os jogos tendo como titulares Macris, Rosamaria, Gabi, Julia Bergmann, Diana, Carolana e Natinha. Gabi foi o grande destaque do jogo, marcando 13 pontos. Tainara, que entrou depois, foi fundamental anotando 12 pontos. Já a maior pontuadora da partida, foi a tailandesa M. Chatchu-On com 14 pontos.

 

COMO FOI O JOGO?

O primeiro set começou com um “apagão” do Brasil, e fez com que as tailandesas abrissem 6x1. Mas logo recuperou a desvantagem com Gabi no comando, virou sete bolas decisivas e garantiu o primeiro set para o Brasil, 25/22.

Na segunda parcial, o Brasil voltou mais concentrado e ajustado, acertando os bloqueios e ataques, além de contar com a entrada de Tainara deixando cinco pontos certeiros e o bloqueio de Diana funcionando , a seleção manteve uma boa sequência e venceu com tranquilidade o segundo set, com uma diferença de 11 pontos. 

 

.
Foto: Esporte News Mundo


Já o terceiro e último set foi tranquilo e o Brasil fechou sem muita dificuldade. Tainara manteve seu destaque, marcando dois aces, no total de seis pontos na última parcial. A seleção tailandesa brigou bastante no começo do set abrindo 9 a 7, mas as brasileiras emendaram uma sequência de nove pontos seguidos, anulando qualquer esperança do time tailandes. Quase no final da partida, Zé Roberto deu oportunidade para as jogadoras reservas mostrarem suas habilidades e fecharam o set sem muita dificuldade. 

Na próxima semana, dia 12, a seleção entra em quadra para enfrentar a também invicta seleção polonesa, em Hong Kong, abrindo a terceira semana de liga das nações. 

Confira as partidas da terceira rodada de uma das principais competições de games do país.
por
Pedro Premero
|
12/06/2024 - 12h
Fuuuu e Trigo comemoram vitória sobre a KaBuM! - Foto: CBLOL/flickr
Fuuuu e Trigo comemoram vitória sobre a KaBuM! - Foto: CBLOL/flickr

O Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL) chegou em sua segunda etapa. Nessa temporada, a principal diferença é que o campeão se classifica para a fase inicial do Worlds, o mundial de LoL e principal torneio do ano.

 

No sábado (8), aconteceu a 3ª rodada do CBLOL com partidas bem agitadas, principalmente pelo reencontro entre paiN e brTT. Os tradicionais não tomaram conhecimento da LOS e atropelaram a Onda Laranja. Nas outras partidas, Fluxo, INTZ e VKS venceram seus confrontos e estão 3-0. A LOUD sofreu, mas também saiu vitoriosa. Confira mais detalhes sobre as partidas:

 

paiN x LOS

 

 A paiN Gaming atropelou a LOS Grandes. Com abates pontuais e lutas bem organizadas, os Tradicionais controlaram muito bem a partida. A Onda Laranja tentou responder, porém, a diferença de ouro já era grande. Com 21 abates a 2, os tricampeões venceram sem dificuldades.

 

MVP: Kuri (Braum) 1/0/17

 

RED Kalunga x INTZ

 

A partida foi muito equilibrada. A RED Kalunga foi bem agressiva no early game e garantiu uma boa vantagem para o FNB (Kennen), mas perdeu lutas importantes para conseguir o snowball. A INTZ segurou o ímpeto da Matilha e foram mais organizados nas team fights. Os Intrépidos chegaram a abrir a base adversária, porém precisaram de mais uma investida para garantir a vitória.

 

MVP: Yampi (Xin Zhao) 7/3/8

 

Fluxo x KaBuM!

 

Apesar de perder os dois primeiros dragões, o Fluxo controlou muito bem a partida. A equipe se aproveitou muito bem do buff das vastilarvas para acumular recursos e abrir o mapa. A Tropa precisou de uma luta para executar o barão e invadir a base para vencer o jogo.

 

MVP: Kiari (Renekton) 3/1/6

 

LOUD x Liberty

 

A partida foi cheia de abates, mas nenhum time conseguiu abrir uma boa vantagem. A LOUD se sobressaiu no final do jogo por conta dos objetivos que fizeram logo no começo. A Liberty se recuperou com um barão feito enquanto a Verduxa abatia o dragão ancião. Com alma e o buff do elder, a atual tetracampeã abriu bem o mapa e, com uma luta no top, finalizaram o jogo.

 

MVP: Route (Kalista) 14/3/4

 

Vivo Keyd Stars x FURIA

 

A VKS não tomou conhecimento da FURIA e dominou totalmente a partida. Os Guerreiros abriram uma vantagem com abates na rota inferior e com o controle dos dragões. Os Panteras até ganharam uma luta, mas o estrago já era enorme. A Keyd, sem dificuldades, fechou o jogo em apenas 23 minutos.

 

MVP: ProDelta (Rell) 3/2/14

 

Coletiva de Imprensa

 

Na coletiva de imprensa, o jogador TitaN, adc da paiN Gaming, falou sobre os sentimentos de enfrentar o, também adc brTT (LOS). Segundo ele, é sempre gratificante enfrentá-lo: “Eu admiro muito o player que ele (brTT) é, a pessoa que ele é, o profissional que ele é, mas obviamente a gente fez o nosso,” comentou.

brTT e TitaN se cumprimentam após o confronto entre paiN e LOS - Foto: CBLOL/flicker
brTT e TitaN se cumprimentam após o confronto entre paiN e LOS - Foto: CBLOL/flicker

“Como time, por sermos melhores a gente só fez a nossa obrigação de casa,” finalizou.

 

Durante a coletiva, Grevthar (RED Canids) disse que a Matilha teve começos mais fáceis e que está sendo um novo desafio viver essa sequência de derrotas:“Vida de competidor é assim, nem sempre você vai estar nas condições que você quer, só tem que trabalhar o mental e o dia a dia para não se deixar abalar. ”

 

“Mesmo que o Nelson já tenha trabalhado, eu e o Brance não estávamos na equipe quando ele estava. O Frosty não teve sequência no último split. A gente está tendo que debater ideias que, na cabeça de muitas pessoas, nós já deveríamos saber, mas não é assim, porque somos uma equipe nova, então vão chegar novos desafios e novas dificuldades.” concluiu.

 

Glossário

Barão: um dos principais objetivos do jogo, após sua execução, cada jogador aliado recebe mais dano de ataque, e retorno acelerado à base.

Bot: posição no mapa.

Buff: mais forte

Farm: quantidade de tropas e monstros da selva abatido pelo jogador

Jungler: caçador

Dive: Tentativa de matar o adversário na torre dele

Engage: Iniciação

Gold: ouro

Lane: Rota na qual os jogadores se deslocam

Nexus: Estrutura na qual a equipe precisa destruir para ganhar a partida

Patch: Atualizações que ocorrem a cada duas semanas para balancear o jogo e adicionar conteúdo

Play: Jogada

Snowball: Efeito bola de neve

Winners bracket: Chave dos vencedores

Match up: Confronto direto entre os campeões de cada rota, por exemplo, Garen x Darius (Top), Orianna x Syndra (Mid)…

MVP: sigla de Most Valuable Player, que indica o melhor jogador da partida

Seleção brasileira masculina vence por 3 x 0 na segunda semana da Liga das Nações
por
Juliana Bertini de Paula
|
12/06/2024 - 12h

A seleção masculina estreiou a segunda rodada da VNL nesta terça-feira (04) em Fukuoka, Japão, com uma vitória impressionante contra a Alemanha. Foram 3 sets a 0, o primeiro terminou com a parcial de 25 x 15, o segundo 25 x 16 e o último 25 x 15.

 

Nesta rodada, o Brasil joga sem o capitão Bruninho, que sofreu uma lesão na panturrilha esquerda em um dos treinos da seleção. Enquanto isso, Lucarelli joga como capitão substituto e termina o jogo como maior pontuador, com 16 pontos marcados.

 

Outro jogador destaque foi o estreante Lukas Bergman, que marcou 11 pontos em seu primeiro jogo na VNL 2024.

Lukas Bergman, estreante na partida, atacando contra a Alemanha. Foto: FIVB
Lukas Bergman, estreante na partida, atacando contra a Alemanha. Foto: FIVB

 

Como foi o jogo?

 

A seleção alemã conseguiu vantagem no início do primeiro set, mas o Brasil rapidamente recuperou e continuou na frente até o fim da partida. No meio do jogo, a equipe brasileira empatou 14 x 14, a partir daí foram sequências de pontos até o fim, 25 x 15 para o Brasil. 

 

Lucão sacou 8 vezes seguidas a partir do 17° ponto até o fim, uma vez a mais por conta de um ponto que precisou voltar depois do jogador Darlan cair na quadra e assustar a equipe.

 

A partir do segundo set, o Brasil se manteve na dianteira a todo momento. Lukas e Flávio chamaram a atenção por conta dos ataques e bloqueios, mas Lucarelli e Darlan foram os maiores pontuadores da parcial, com 4 pontos cada um. 

 

Se do outro lado da quadra o passe alemão era sempre quebrado, no lado brasileiro, Thales e o ponteiro Lukas dominaram o fundo da quadra. Com o passe na mão, Cachopa conseguiu fazer uma boa distribuição dos ataques do Brasil, que fez 25-16 para abrir 2 a 0 na partida.

 

A terceira e última partida seguiu o mesmo ritmo do anterior, mas aqui Lukas Bergman se destacou, marcando 8 pontos, quase todos seus pontos do jogo. Cometendo poucos erros (sete no jogo inteiro), a seleção venceu a parcial por 25 a 15 para fechar o jogo em três sets.

 

Darlan, Lucarelli e Lukas, respectivamente, comemorando ponto brasileiro. Foto: Volleyball World
Darlan, Lucarelli e Lukas, respectivamente, comemorando ponto brasileiro. Foto: Volleyball World

 

O Brasil, que venceu 3 de 5 jogos, retorna às quadras da VNL meia-noite de quarta (05) para quinta-feira (06) contra a seleção do Irã.

Depois da sonolenta corrida em Mônaco, a Fórmula 1 voltou com emoção na pista escorregadia do Circuito Gilles Villeneuve
por
Luiza Zequim
|
11/06/2024 - 12h

A corrida do último final de semana (9), foi marcada por diversas ultrapassagens, trocas de liderança e abandonos. O Grande Prêmio do Canadá foi o responsável pela volta da hegemonia de Max Verstappen e a superioridade do carro da Red Bull, o que acabou com a esperança dos ferraristas após vitória de Leclerc em Monte Carlo. Seguindo Verstappen, o pódio foi completado por George Russell (Mercedes) e Lando Norris (McLaren).

Durante a largada, a pista já se encontrava molhada e a previsão de chuva forte durante todo o percurso assombrava os pilotos. Russell, que cravou a pole position no sábado, conseguiu largar bem mantendo sua posição nas primeiras voltas. Contudo, a calma foi rapidamente substituída pela disputa entre a McLaren de Norris e a Red Bull de Verstappen. O cenário da liderança não se alterou muito durante as voltas, sendo continuamente disputado pelos três finalistas no pódio. 

.
Largada da nona etapa da F1 no Circuito Gilles Villenueve (Foto: Clive Rose/Getty Images/Globo Esporte)

 

Os dois carros da Ferrari e as Williams não terminaram a etapa. O primeiro a abandonar, depois de uma batida, foi Logan Sargent, que rendeu um safety car e auxiliou a liderança de Verstappen. Charles Leclerc abandonou por problemas de potência no motor, assim como seu companheiro de equipe Carlos Sainz, o que trouxe decepção aos tifosi.

Sergio Pérez também esteve sob os holofotes nesta semana, após o anúncio de sua renovação com a Red Bull por mais dois anos. Porém, o péssimo desempenho no Canadá — o mexicano rodou sozinho na volta 56 e não conseguiu concluir a corrida — trouxe, novamente, os questionamentos sobre a capacidade e merecimento, em continuar com vaga garantida na equipe que possui um dos carros mais velozes do grid. 

 

Mudanças no campeonato

Verstappen conquistou a sexta vitória da temporada e a sexagésima na carreira. O holandês é o terceiro piloto com mais conquistas em Grande Prêmios, somente atrás de Lewis Hamilton, com 103, e Michael Schumacher, que tem 91. Além disso, o tricampeão disparou no Campeonato de Pilotos, com 56 pontos à frente de Charles Leclerc, o segundo colocado.

A aproximação de Norris, com apenas sete pontos de diferença de Leclerc, anima os torcedores da McLaren. Assim como a presença das duas Alpines na zona de pontuação, com Gasly em nono e Ocon em décimo. Apesar de não terminar com pontos, Kevin Magnussen, da Haas, foi protagonista em várias ultrapassagens e  chegou a atingir o sexto lugar durante a corrida, porém, após um pit stop muito demorado, terminou em décimo segundo. 

 

.
Classificação do Campeonato de Construtores e Pilotos após o GP do Canadá (Foto: Reprodução/Instagram)

A Fórmula 1 retorna para a décima etapa, no Grande Prêmio da Espanha, no Circuito de Barcelona-Catalunha, que acontecerá entre os dias 21 e 23 de junho.

De virada, a Seleção Brasileira de vôlei derrota a Itália, em uma partida com muitas falhas
por
Beatriz Brascioli
|
10/06/2024 - 12h

A seleção Brasileira feminina de vôlei derrotou a seleção da Itália em 3 sets a 2  (26/24, 25/27, 18/25, 25/19 e 15/10), num jogo bastante equilibrado e segue com 100% de aproveitamento na segunda semana de VNL, em Macau (China). O Brasil está lutando pelo primeiro lugar na liga das nações de 2024. A seleção está invicta na competição com sete jogos, sete vitórias, mas a seleção Polonesa está em primeiro lugar porque no balanço geral, perdeu menos sets do que as brasileiras.

Com destaque para Ana Cristina, anotou 22 pontos, sendo três de bloqueio e um de saque. Outro importante nome foi o de Rosamaria, que deixou 19 pontos em quadra. Já do time adversário, Paola Egonu foi a maior pontuadora da partida com 29 pontos, sendo 3 de bloqueio.

O bloqueio do Brasil foi bastante efetivo e funcionou em momentos decisivos. Foram 14 pontos de bloqueio para as duas seleções, mas destaque para Carolana com 6 pontos só neste fundamento. A seleção da itália teve mais erros, totalizando 33 pontos. 

Zé Roberto fez uma escalação diferente das partidas anteriores, colocando: Roberta, Rosamaria, Gabi, Ana Cristina, Carol, Thaisa e Nyeme. Mas depois entraram também Macris, Pri Daroit e Tainara. 

A Itália, por sua vez, contou com uma distribuição imprecisa da levantadora Orro e contou com Egonu em dia pouco inspirado. Quando a oposta foi acionada nos momentos decisivos do jogo, o bloqueio brasileiro estava bem posicionado e conseguiu parar a jogadora. Mesmo assim, a italiana deixou a quadra como a principal pontuadora da partida com 25 acertos, seguida de Ana Cristina com 22.
 

COMO FOI O JOGO

O primeiro set foi bem jogado. O Brasil começou acertando mais e com bons bloqueios, abriu vantagem de sete pontos sobre as italianas, a seleção italiana conseguiu recuperar e empatou a partida.   Ana Cristina e Gabi cresceram bastante no final da parcial que deu o primeiro set para o Brasil. A seleção italiana, na final da parcial, empatou 24/24, mas com um erro no saque e depois no ataque, para fora, o Brasil fechou o primeiro set.  

Já no segundo, as italianas voltaram com sangue nos olhos e só deu Itália no segundo set. O Brasil não fez um bom set, as bolas não estavam virando, o bloqueio não estava funcionando, o time começou a errar bastante. Ana Cristina não pontuou neste segundo set. O destaque ficou para Rosamaria, que fez oito pontos de ataque e um de bloqueio. 27/25 para as europeias. 

O terceiro set mostrou bastante erros da equipe brasileira. As italianas logo abriram vantagem contra as brasileiras, que logo conseguiram recuperar a situação que estava 10/6 ficou 12 a 12. Porém, a Itália voltou a comandar o set e fechou a parcial por 25/18. Paola Egonu foi o grande destaque no set, virando todas as bolas, anotando nove pontos. 2 a 1 no placar geral, colocando o Brasil sob pressão para ganhar os próximos dois sets. 

.
Egonu sendo bloqueada por Carol e Gabi (foto: /Divulgação/FIVB/Volleyball World)

O quarto set foi a volta do Brasil para o jogo. A seleção brasileira buscou ponto a ponto a virada do placar geral.  Ana Cristina teve um papel fundamental na virada do Brasil, marcando nove pontos no set e aparecendo nos momentos mais difíceis da partida. As brasileiras fecharam o quarto set com 25/19. No tie-break, o equilíbrio entre as duas seleções voltou. Após alguns erros da seleção italiana, e  Carolana aparecendo em um momento decisivo no bloqueio, o Brasil abriu uma vantagem de dois pontos que ficou até ao final da partida com a vitória brasileira de 15/10.

 

A seleção Brasileira volta a quadra no próximo domingo (02), às 5h, para enfrentar a Tailândia, pela última rodada da semana 2 da VNL, em Macau, China.