Fórmula 1 - GP do Canadá: Max Verstappen vence mesmo com erros da equipe

Holandês não teve dificuldades para conquistar a vitória e se manter na liderança do campeonato.
por
Lucas G. Azevedo
|
22/06/2022 - 12h

No último domingo (19) aconteceu o GP do Canadá no circuito urbano Gilles Villeneuve, em Montreal. Apesar do fim de semana com chuvas, o domingo foi ensolarado com temperatura amena, 20°C. A etapa foi marcada pelos erros cometidos e deixou a desejar nas disputas por posições.

A largada

O grande prêmio do Canadá começou com Max Verstappen, da RBR, na pole position, seguido por Fernando Alonso, da Alpine – uma grande surpresa resultado da corrida de classificação com chuva no sábado (18). Na segunda fila estavam Carlos Sainz, da Ferrari, e o heptacampeão Lewis Hamilton, da Mercedes.

A Haas conquistou sua melhor classificação na história e colocou seus dois pilotos na terceira fila, com Kevin Magnussen a frente de Mick Schumacher.

Charles Leclerc, da Ferrari, e Yuki Tsunoda, da Alpha Tauri, largaram das últimas posições por terem trocado peças do motor além do permitido na regra.

Grid de largada GP dp Canadá
Grid de largada do GP do Canadá. Divulgação: F1.

Logo ao apagar das luzes, Verstappen acelerou e abriu vantagem ao pelotão. Na terceira volta Sainz deixou Alonso para trás e Leclerc começou a escalar posições. Porém, na nona volta, Sérgio Perez, da Red Bull, teve problemas no câmbio do carro e foi obrigado a abandonar a prova, resultando em um Safety Car virtual.

Erros de estratégia

A RBR decidiu antecipar a parada de Verstappen e já colocar pneus duros no carro do holandês. Mas a equipe austríaca acabou não tendo vantagem nessa mudança. Durante a 20ª volta, Schumacher teve que abandonar e outro Safety Car virtual foi chamado.

A Ferrari aproveitou e colocou pneus duros no carro de Sainz, com o objetivo de perseguir o rival. Com pneus mais novos, o piloto espanhol começou a tirar a imensa diferença de tempo aos poucos.

Não teria como terminar a corrida com o mesmo jogo de pneus e o atual campeão mundial foi obrigado a fazer nova parada na 44ª volta, a escuderia colocou os mesmos compostos para não precisar parar novamente até o fim.

Mas a sorte não estava ao lado da RBR. Yuki Tsunoda, da Alpha Tauri, saiu dos boxes na 49ª volta, errou o tempo de frenagem e acabou com o carro no muro. A Ferrari não perdeu tempo e logo chamou Carlos Sainz para os boxes quando o Safety Car foi para a pista.

Sainz e Verstappen
Verstappen e Sainz competindo pela liderança. Divulgação: F1.

A equipe italiana não tinha mais compostos médios disponíveis para o resto da corrida e decidiu manter os duros. Porém, segundo a previsão da Pirelli, o composto macio duraria entre 17 e 22 voltas. Faltavam exatas 22 para o fim da prova e o reinício ainda não havia sido autorizado.

Com o conservadorismo da Ferrari, Sainz chegou a ficar próximo de Verstappen, mas não conseguia velocidade para ultrapassá-lo. O holandês se manteve firme na liderança e levou mais uma vitória para casa.

Pit stop da McLaren

A equipe inglesa quer esquecer esse fim de semana. Além de sair zerada, com Daniel Ricciardo em 11° colocado e Lando Norris em 15º. A escuderia protagonizou um momento bizarro nos boxes.

Durante o Safety Car virtual, a McLaren chamou seus pilotos para tentar uma troca dupla e perder menos tempo fora da pista. Porém, a equipe acabou se atrapalhando e preparou apenas os pneus que foram ao carro do piloto australiano, o que fez Norris ficar um bom tempo parado sem rodas. O piloto ainda tomou uma punição de 5 segundos após a corrida, mas que acabou não mudando sua posição.

Decepções

Quem não assistiu a classificação no sábado (18) deve ter se assustado quando viu Fernando Alonso, da Alpine, na primeira fila e duas Haas compondo a terceira.

Mas o que parecia um sonho logo se tornaria um pesadelo. Já na largada Kevin Magnussen, da Haas, disputou posição com Lewis Hamilton, da Mercedes, e teve que trocar sua asa dianteira. O dinamarquês caiu para o fim do pelotão e não conseguiu se recuperar, terminando em último dos que viram a bandeira quadriculada, em 17º.

Pit Stop Magnuessen
Magnussen parado nos boxes para trocar a asa. Divulgação: F1.

Seu companheiro de equipe teve problemas elétricos no carro e abandonou durante a 20ª volta.

No lado da Alpine, Fernando Alonso avisou que atacaria Verstappen desde o começo, no entanto seu carro não se mostrou potente o suficiente ele começou a perder posições. O espanhol perdeu sua luta contra as Mercedes e ficou atras de Charles Leclerc, da Ferrari, e de Esteban Ocon, seu companheiro de equipe. Ainda assim, o piloto consegui chegar em 7° lugar. Mas uma punição de 5 segundos por ziguezaguear numa defesa de posição o fez cair para 9º.

Resultados

Charles Leclerc, da Ferrari, largou de 19º e numa grande corrida de recuperação, conseguiu diminuir os danos e ficou em 5°.

George Russel, da Mercedes, mantem sua consistência de terminar no top 5 em todas as corridas da temporada ao finalizar em 4° lugar.

Seu companheiro, Lewis Hamilton, abriu o pódio, num fim de semana em que os problemas com o porpoising parece ter diminuído na Mercedes.

Sainz ficou em 2° colocado e conseguiu a volta mais rápida para conquistar o ponto extra. Max Verstappen levou mais uma vitória para casa – foi a 26ª na carreira, ultrapassando grandes nomes do automobilismo, como Niki Lauda e Jim Clark.

 

Grid completo
Classificação do GP do Canadá. Divulgação: F1.

Por conta da punição sofrida por ziguezaguear ao defender sua posição, Fernando Alonso (Alpine), que recebeu a bandeirada em 7° lugar caiu para 9° na classificação final.

Com esse resultado, Max Verstappen abriu ainda mais vantagem no campeonato e parece cada vez mais perto de ser bicampeão.

Pontuação
Tabela dos campeonatos de pilotos e equipes. Divulgação: F1.

Próxima corrida

A Fórmula 1 terá uma semana de folga e volta no dia 3 de julho para o circuito de Silverstone, na Inglaterra. A corrida começa às 11h, no horário de Brasília.